New Call-to-action
Claudio Mota
Tempo de leitura: 4 minutos – 14 de outubro de 2018

Realmente é preciso parar operação do posto para receber combustível?

O momento do recebimento de combustíveis nos postos de gasolina envolve cuidados e atenção à uma série de normas de segurança e qualidade. A presença do caminhão-tanque pode trazer transtorno às operações, tanto que muitas vezes o abastecimento é feito após o término do expediente. Mas será que é necessário parar a operação do posto para este procedimento?

A recomendação da Agência Nacional de Petróleo (ANP) é sempre interromper a operação das bombas interligadas ao tanque que for receber o produto porque, como ocorre a descarga de combustível, sedimentos, resíduos no tanque, são movimentados e essas impurezas podem chegar até o equipamento de abastecimento. As bombas de combustível possuem filtro, mas partículas menores destes resíduos no tanque podem passar mesmo assim e riscar a parede interna do bloco medidor, comprometendo a calibração e a vida útil do equipamento.

Além disso, a medição manual antes e depois da descarga não é precisa. Mas a automatização de processos pode trazer soluções para que o abastecimento dos veículos não tenha que ser interrompido por muito tempo. A medição eletrônica também oferece informações preciosas para garantir a qualidade do combustível e o gerenciamento de todo o processo, evitando perdas. Sem contar que proporciona controle para minimizar riscos ambientais e até mesmo detectar fraudes e furtos.

Vantagens da medição manual antes e depois da descarga 

Muitos postos ainda trabalham com o uso da tradicional “régua” para fazer a medição manual antes e depois da descarga. Além de trabalhoso e moroso, o processo analógico gera imprecisão.

Um dos problemas é que, para saber quanto combustível pode ser descarregado no tanque e evitar riscos de transbordamento, o posto precisar ter certeza do que foi vendido nas bombas ligadas a esse tanque. Fazer isso manualmente é complicado, e o processo está sempre sujeito a falhas.

Já um sistema de medição e monitoramento eletrônico faz isso de forma automática. Assim fica mais fácil controlar a quantidade exata de combustível no tanque.
Outra vantagem é que no momento em que o posto recebe a descarga o sistema gera um relatório completo informando quanto combustível havia no tanque, quanto foi adicionado, e ainda faz uma compensação de temperatura, considerando que o ideal é 20°. Isso porque o combustível reage à temperatura, expandindo ou contraindo.

Isso porque, com o sistema, é possível saber com exatidão quanto combustível foi comprado e comparar os dados com a nota fiscal. Isso evita, inclusive, risco de fraudes, já que, em algumas situações, métodos ilícitos são utilizados para não entregar o volume correto. Lembrando que é preciso estar atento ao momento de providenciar a limpeza periódica do tanque do posto, para eliminar os resíduos no tanque, que são gerados principalmente no caso do diesel.

Postos que já utilizam sistemas automatizados têm a segurança de estar pagando pelo volume efetivamente recebido.

Estas são apenas algumas das vantagens de investir em soluções de automatização, que podem evidenciar quais são as possíveis perdas que estão ocorrendo no posto.

Continue lendo o blog para saber mais sobre como a tecnologia pode ajudar na gestão e operação de um posto de combustíveis!

Nova call to action

  • Compartilhe

Resultado da busca

Comentários

Conteúdos exclusivos com a propriedade de quem entende do seu negócio.

Assine a newsletter.