New Call-to-action
Antônio Cristóvão
Tempo de leitura: 4 minutos – 17 de Maio de 2017

O que fazer nos casos de detecção de vazamento de combustível?

Vazamento de combustível é preocupante sob diversos pontos de vista, sobretudo do risco ambiental e de segurança que pode resultar em acidentes e/ou pagamento de altíssimas multas na condução de intensos esforços de descontaminação.

E tão importante quanto se atentar à ocorrência de vazamentos é estar preparado para lidar com eles, com o monitoramento no posto.

Pela Lei 13.577, no estado de São Paulo, por exemplo, o causador da contaminação é responsável por sua detecção e prevenção.

Para começar, é importante entender que um vazamento de combustível pode ter diferentes focos, sendo importante a detecção o mais rápido e confiável possível, porém aqui citaremos especificamente os ocorridos nos tanques.

Vazamentos ou derrames de pequena monta, podem ser controlados com uma equipe de funcionários treinada para este tipo de situação. Por exemplo: se ocorreu o transbordamento de uma pequena quantidade de combustível do tanque do cliente para o piso do posto, bastará interromper o fluxo de combustível desligando-se a bomba de abastecimento e utilizar areia para conter e remover o combustível derramado.

Deve-se dar destinação correta para esta areia impregnada de combustível. Porém existem casos onde o volume derramado é maior e então deverão ser seguidos os passos descritos abaixo.

Veja a seguir o que você deve fazer nesses casos:

1) Verifique se há vínculo com uma empresa que atenda a emergências

Em alguns locais, como São Paulo, é exigido que o posto de abastecimento mantenha contrato com uma empresa especializada para situações emergenciais que deve ser acionada tão logo se detecte vazamentos (EPAE - Equipe de Pronto Atendimento a Emergências).

Se seu posto tiver contrato com empresas de pronto atendimento é hora de acionar o suporte, pois elas já têm uma estrutura adequada para conter o problema, enviando um técnico e veículos preparados para a área.

Mediante o cenário que vão encontrar utilizarão equipamentos específicos a cada situação, as quais podem pode demandar uso de bóias (no caso de vazamento em rios) ou até ventiladores para dispersar vapores potencialmente explosivos (se for no interior de uma garagem, por exemplo).

Dependendo da extensão do vazamento, pode ser necessário comunicar o órgão ambiental da região, conforme a Lei Estadual 13.577/2009 determina em São Paulo. Por isso é importante estar atento à consulta dependendo da região onde se localiza o posto.

2) Paralise a operação do tanque envolvido

Identificado o problema, você não precisa fechar o posto todo (a menos que não se tenha certeza de qual tanque de combustível está comprometido), mas vai ter que parar a operação que envolve o compartimento e esvaziá-lo

Para isso entre em contato com a distribuidora que lhe vendeu o combustível e solicite a remoção em geral ela já possui uma pequena parte da frota equipada com bombas ou sistema para realizar esse procedimento com segurança.

Nova call-to-action

3) Na dúvida, consulte seus sistemas de controle

Se houver dúvida sobre qual tanque de combustível está vazando, por exemplo, provavelmente seu posto vai ter que parar a operação inteira, podendo causar prejuízos ainda maiores. Por esse motivo também se recomenda a utilização de sistemas eletrônicos de monitoramento ambiental que ajudarão a ter controle sobre os níveis de cada tanque e sensores que podem fazer identificações precisas de eventuais vazamentos de combustível.

Tais aliados são, aliás, extremamente importantes também para interromper a tempo possíveis causas de vazamentos: um dos principais motivos do problema, por exemplo, é na hora da entrega de combustível, quando eventualmente um caminhão recebe informação equivocada e descarrega no tanque errado.

Com acompanhamento em tempo real e controle de inventário é possível saber o volume de combustível em cada tanque e evitar erros desse tipo.

4) Contate uma empresa especializada para realizar o teste de estanqueidade

Com o tanque de combustível vazio você pode solicitar novos testes de estanqueidade e realização de possíveis reparos pela empresa especializada responsável, inclusive podendo descobrir, por meio dessas análises, se o problema está só no tanque ou se envolve também a tubulação.

5) Assuma a responsabilidade

Se o vazamento já tiver tomado proporções maiores você terá que contratar uma empresa para analisar os danos e propor medidas para revertê-los.

É muito importante que as consequências não cheguem até aqui, pois além da agressão ambiental, pode haver indiciamento do Ministério Público por crime ambiental.

Não significa que você terá de parar as operações do posto enquanto os procedimentos estiverem em andamento, mas poderá ser exigida a assinatura de um TAC (Termo de ajustamento de conduta) que passará por acompanhamento rigoroso até que toda a situação tenha sido tratada.

6) Arque com a remediação

Se for contaminação do solo, provavelmente a empresa de remediação quebrará o piso e concreto do posto para remover a parte contaminada do solo, levando-a até uma incineradora, o que pode causar até um transtorno temporário no posto e na circulação de clientes e funcionários.

Caso o problema tenha atingido o lençol freático, por exemplo, poderá ser necessária a instalação de uma bomba e de uma caixa separadora para “filtrar” essa água, até que análises indiquem que está limpa novamente (por um prazo indefinido, que não se tem como prever e que vai depender muito de cada caso).

Por isso, procure equipar seu posto com sistemas confiáveis para monitoramento, equipamentos de proteção adequados e acompanhar as determinações legais para acionar ajuda especializada nos momentos mais críticos!

 

  • Compartilhe

Resultado da busca

Comentários

Conteúdos exclusivos com a propriedade de quem entende do seu negócio.

Assine a newsletter.

Nova call to action